Veja como escolher uma plataforma de e-commerce

Para quem está começando, saber como escolher uma plataforma de e-commerce pode ser difícil.

Para facilitar essa etapa da criação de uma loja virtual, vamos discutir o conceito e os modelos existentes no mercado brasileiro.

O que é conhecido tecnicamente como plataforma de e-commerce é o sistema sobre o qual é construída uma loja virtual, tanto a parte que fica visível para os visitantes do site, conhecido como front end, quanto a parte administrativa da loja virtual.

Uma das maiores dificuldades dos empresários que desejam iniciar no comércio eletrônico é decidir qual plataforma de e-commerce escolher, principalmente em função da grande variedade de preços e modelos de negócio.

Todo empresário que está pensando em montar um e-commerce deve dedicar muita atenção a essa etapa do negócio, pois ele é vital para o sucesso da empreitada.

Atualmente podemos citar basicamente quatro principais modelos de negócio: aluguel da licença de uso, venda da licença de uso, venda do código-fonte e código aberto.

O passo a passo para escolher uma plataforma de e-commerce

Nos itens abaixo vamos listar principais pontos para quem está em dúvida sobre como escolher a plataforma para uma loja virtual de sucesso.

A plataforma de e-commerce é o coração da sua loja virtual, por isso é muito importante na hora de montar uma loja virtual, conhecer os diversos modelos para determinar qual é a melhor plataforma para o seu caso.

1 – Aluguel da licença de uso

O modelo de aluguel da licença de uso é o mais comum e também o que requer menos investimento inicial, e por isso mesmo o preferido por grande parte dos novos empreendedores.

Neste modelo, o fornecedor da plataforma de e-commerce desenvolve um sistema padrão e comercializam a licença de uso. São conhecidas como plataformas alugadas, e são ideias para quem está dando os primeiros passos no e-commerce.

Neste caso você paga uma taxa de instalação, também conhecida como taxa de setup, e uma mensalidade que, normalmente, está vinculada ao tráfego recebido pela loja virtual ou, em alguns casos, um percentual sobre as vendas.

É a opção ideal para quem deseja montar uma pequena loja virtual, pois todas as questões técnicas ficam por conta do desenvolvedor da plataforma de e-commerce.

2 – Venda da licença de uso

O modelo de venda da licença de uso, é similar ao modelo de aluguel, mas sem uma mensalidade. É um tipo de plataforma que vem se tornando cada vez mais rara, mas ainda existem alguns fornecedores que trabalham com esta modalidade.

No modelo anterior como neste, o código-fonte é de propriedade da empresa que desenvolveu, portanto, qualquer ajuste ou evolução que o lojista queira realizar deverá fazer com essa mesma empresa, o que cria uma dependência desse fornecedor.

3 – Venda do código fonte da loja

No modelo de venda do código-fonte, o investimento inicial realizado será para aquisição da posse dos códigos-fonte da desenvolvedora proprietária, que dará o direito de evoluir ou realizar ajustes na plataforma por qualquer empresa ou profissional capacitado na tecnologia desenvolvida.

Esta é uma opção que dá mais liberdade ao empresário, mas em compensação o deixa responsável por toda a parte de manutenção técnica do sistema e sua evolução.

Como escolher um sistema de e-commerce

4 – Plataformas open source

Por fim, existem plataformas de código aberto, também conhecidas como plataformas open source, que estão disponíveis na internet a custo zero e dão direito a posse dos códigos-fonte.

A grande vantagem dessas plataforma é que elas são suas e não existem taxas de configuração o mensalidades, mas cuidado com a armadilha de achar que você pode montar uma loja sem gastar nada. Isso simplesmente não existe.

Nesse modelo será necessário contratar uma empresa especializada na plataforma de código aberto escolhida, como por exemplo, a Magento, para realizar as customizações necessárias ao seu negócio e implantá-la.

Outro modelo de plataforma de ecommerce que vem se tornando bem popular é a WordPress, utilizando o plugin Woocommerce, uma solução para lojas virtuais mais simples.

Sua grande vantagem é que é bem mais barata que a Magento e mais simples de se trabalhar no dia a dia.

Qual modelo escolher?

Para todos os modelos existe uma grande variação no investimento inicial e mensal, que muitas vezes está diretamente relacionada à qualidade dos serviços da empresa desenvolvedora e ao nível de customização permitido na plataforma.

Funcionalidades como configurações do carrinho de compras, meios de pagamento, integração com o Google Analytics e outras ferramentas de marketing digital, devem ser também levadas em consideração na sua escolha.

O importante é sempre avaliar como seus concorrentes estão se posicionando, qual tende a ser o melhor modelo para o produto que será vendido e o público-alvo e qual o orçamento disponível.

Uma dica é de não investir mais de 30% do total da verba disponível para todo o projeto de e-commerce na plataforma.

Mas, não se esqueça que independentemente do modelo escolhido, deve ser feita uma avaliação dos desenvolvedores que o oferecem e nunca deixar de planejar toda a operação, levando em consideração os outros pilares: logística, atendimento, marketing e produto.

Para complementar as informações deste artigo, sugerimos que você veja também nosso roteiro completo para montar o seu e-commerce publicado em nosso artigo Como Montar Uma Loja Virtual.

Agora que você já tem uma ideia de como escolher uma plataforma de e-commerce, convidamos para que leia alguns outros artigos sobre o assunto na nossa seção de artigos sobre e-commerce. Mantenha-se atualizado sobre este e outros assuntos abordados em nosso site assinando nosso Boletim Informativo.

Como escolher uma plataforma de e-commerce
3 (60%) 2 voto[s]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here