Quanto cobrar pelo trabalho freelancer

Uma pergunta sempre em destaque: Quanto cobrar pelo trabalho freelancer. Qual seria a metodologia para realizar este cálculo e o que levar em consideração.

Este é sem dúvida um dos assuntos mais polêmicos na vida de um freelancer, a questão da precificação do trabalho freelancer.

O fato é que não existe uma única resposta correta para essa questão, pois não há como generalizar ou criar uma “tabela” neste tipo de atividade profissional.

Neste artigo vamos mostrar como calcular o valor por hora trabalhada, diagnosticando todos os custos envolvidos e colocando algumas questões que acreditamos serem importantes quanto você deve cobrar pelo seu trabalho.

1 – Momentos diferentes e valores diferentes

Determinar o quanto cobrar pelo trabalho freelancer é uma tarefa onde você deverá avaliar diversos fatores, como o tempo que será gasto e também o grau de dificuldade do projeto.

No caso de você estar começando agora e ainda não contar com um bom portfólio, é bastante provável que encontre dificuldades para conseguir fechar os seus primeiros projetos.

Neste momento profissional é normal praticar preços um pouco menores do que a média do mercado, já que precisa fechar seus primeiros contratos para conseguir mostrar o seu trabalho para outros clientes em potencial.

Isso não significa que você deva cobrar preços aviltantes e prostituir o seu trabalho. Essa prática, muito comum em plataformas de trabalhos freelancer, leva a uma concorrência bastante desleal e a uma inevitável perda de qualidade.

Não faz sentido, para quem deseja se tornar um freelancer profissional, entrar neste tipo de jogo, principalmente porque você irá trabalhar muito para receber bem menos do que deveria.

2 – Calcule os seus custos

O primeiro passo para que você possa definir o quanto cobrar pelo trabalho freelancer é calcular com exatidão os seus custos fixos e custos variáveis para poder precificar de maneira justa cada projeto.

Considere o seu tempo, a sua pesquisa e tudo que envolve o processo de execução. Um designer, por exemplo, tem o custo do software para desenvolver a sua atividade. Esse custo deve ser proporcionalmente embutido no preço do serviço.

A complexidade é outro fator a ser avaliado. Quanto tempo será necessário para realizar todo o processo? Quando falamos de tempo, considere ainda a pesquisa, rascunhos e revisões. Outro ponto: qual a dificuldade da execução?

No caso de um redator freelancer, por exemplo, um texto básico sobre um assunto que ele domina, não pode ter o mesmo preço de um assunto técnico que vai exigir maior dedicação. É por isso que digo que saber o quanto cobrar pelo trabalho freelancer não é uma ciência exata.

Resumindo, não há uma fórmula mágica para o cálculo. É uma questão subjetiva, até considerando as possibilidades do projeto. É algo de longo prazo ou pontual? O cliente tem parceiros? Trabalhar com aquela marca vai ser bacana para o seu currículo? É um projeto que você gostaria de participar? Tudo isso deve pesar na precificação.

Existe uma matéria muito boa falando sobre toda essa metodologia de cálculo que você pode ler no artigo Quanto Cobrar Pelo Trabalho de Marketing Digital, publicado no Marketing Job.

3 – Inclua o prazo de entrega na precificação do trabalho freelancer

Outro aspecto que precisa ser analisado na hora de determinar quanto cobrar pelo trabalho freelancer é a questão do prazo de entrega do projeto.

Sabemos que o cliente sempre tem pressa e receber o trabalho contratado. Caberá a você julgar se pode priorizar ou não aquele determinado projeto, cobrando por isso um adicional pela urgência.

Em casos como esse, uma opção é propor “mini prazos” para o projeto, ou seja, parcelar as entregas. O cliente fica menos impaciente e você pode administrar melhor o seu tempo para o projeto.

Lembra-se do que falamos sobre flexibilidade nas características de um freelancer? Ela vale muito nessa hora.

4 – Explique como funciona o seu trabalho ao seu cliente

Não basta somente saber quanto cobrar pelo trabalho freelancer, você precisa também saber como explicar o seu preço para o seu cliente final, para que ele realmente entenda o que está contratando.

Por vezes, o cliente tem uma ideia de preço baixo em função de outros orçamentos recebidos ou mesmo por desconhecimento da sua atividade. Quem contrata o serviço, ao menos geralmente, foca no produto final e não na execução.

Por isso, explique para ele a importância do seu trabalho, mostre como você pode ser útil. Pode parecer muito simples, mas essa ação faz com que o cliente entenda todo o processo (e valorize mais a sua função).

Nos meus trabalhos de redação, por exemplo, sempre deixo claro que o preço não inclui apenas a produção do conteúdo, mas todo um processo de pesquisa, leitura de concorrentes, avaliação da persona, rascunho, produção textual, aplicação das técnicas de SEO e, finalmente, a revisão.

Dessa maneira, é muito mais factível que ele enxergue o valor do trabalho do que simplesmente enviar um preço padronizado para produção de um artigo. Tente aplicar isso no seu dia-a-dia também.

5 – Será que o preço está adequado ao mercado?

O melhor termômetro que você tem são os retornos das suas propostas. A proposta, aliás, deve receber uma atenção especial.

Saiba escrever para o seu cliente e de maneira atrativa. Propostas genéricas despertam menor interesse e, consequentemente, possuem menor chance de aceitação.

É evidente que, para essa avaliação de preço versus mercado não pode levar em consideração uma ou duas respostas.

Alguns clientes realmente não valorizam o trabalho do freelancer e não querem pagar nada. Entretanto, no longo prazo, você perceberá se a sua proposta gera algum interesse dos clientes ou se eles mal respondem.

6 – Afinal, quanto cobrar pelo trabalho freelancer?

Enfim, não há qualquer regra na formulação de preço. Profissionais de uma mesma área podem ganhar valores completamente diferentes, não seria diferente no trabalho independente, certo?

A própria experiência ajudará na definição correta do seu preço. Ao começar a desenvolver os seus projetos, você irá entender o que demanda mais tempo ou esforço, podendo definir melhor o valor ideal.

No começo, é realmente difícil definir quanto cobrar pelo trabalho freelancer, principalmente se você é novo no seu mercado.

Por ora, minha dica final é valorizar o próprio trabalho. Se nem você fizer isso, não espere que o seu cliente o faça. Nada de aceitar propostas absurdas apenas para não perder uma oportunidade. Demanda é o que não falta.

O tempo acaba mostrando que é melhor escolher projetos certos e justos para as duas partes. Assim, você trabalha com mais qualidade, o cliente recebe algo que valerá o investimento e, claro, as chances de novos projetos futuros aumentam.

Agora que você já sabe quanto cobrar pelo trabalho freelancer, é horar de calcular seus custos, avaliar a sua estratégia e colocar a mão na massa. Mantenha-se atualizado assinando a nossa Newsletter.

Publicado no Empreendedores Web

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here